“desensaio” sobre a dor

Dói demais!

Palavras…

Sem mais…

(Robinson Murilo Badin)

Anúncios
“desensaio” sobre a dor

Já está escrito…

Amo cada centímetro dela, das coisas tangíveis e intangíveis.

Suplico aos céus e aos santos anjos para que eu tenha mais uma única chance…

A extraordinária chance de fazê-la feliz, tão feliz, que ela vai esquecer que já plantei tristeza.

E que essa distância torne-se em abraços sem fim e, depois de abraça-la, seremos todos os abraços que já estão escritos.

(Robinson Murilo Badin)

Já está escrito…

N+1

O amor merece vencer.

Ao seu lado que desejo ser,

não existem outros braços

onde desejo morar.

Mais forte que a queda

é a vontade de levantar.

*

Pagaria uma fortuna

para que ela leia

todas essas palavras.

Por isso minh’alma anseia.

*

Por detrás dos meus olhos

existem rios sem fim,

ela ainda me vê seco,

embora os anjos não vejam assim…

*

Eles me são testemunhas,

registram meu sofrer

e sabem que somente

à ela posso pertencer.

*

Já está escrito,

somos para estar juntos.

Eis o veredito!

________

[Robinson Murilo Badin]

N+1

Não parta, tu és parte…

Nunca pensei em ter um animal de estimação, não que eu odiasse essa ideia, apenas não me chamava a atenção…

Mas hoje ela é tão parte de mim, é tão residente em mim, a única pessoa que realizou esse prodígio em minha estrutura. Sua doçura ao acariciar os cães, sua paixão por gatos, sua tatuagem desses felinos, passaram a ter uma importância estética enorme em mim.

Todo cachorro ou gato que vejo, me imagino brincando ou criando amizade com eles, essa amizade que até hoje não entendo, mas que acho tão bonita por fazer parte dela, que hoje é também parte de mim.

(Robinson Murilo Badin)

Não parta, tu és parte…

É para ela…


Não quero riquezas

Nem sabedoria sem fim.

Não desejo subir,

Muito menos descer.

Não preciso de experiências

Megaloblásticas ou fantásticas;

Pra ser sincero

Dispenso até a rima,

Dispenso a liberdade,

As coisas desejáveis e

Os sonhos que se podem sonhar.

Dispenso a mim mesmo,

Se for necessário…

A única coisa que quero

É depois de um dia comum,

Desses dias que a vida é cheia,

Após uma refeição comum,

Rituais comuns,

Ter a alegria estratosférica,

A satisfação incomum,

Da extraordinária experiência,

De deitar ao seu lado!


(Robinson Murilo Badin)

É para ela…

Rendido


A ausência do teu abraço é escuridão

Minha ressurreição é ter perdão

Já não há distinção entre dia e noite

A falta do teu beijo arde como açoite.

*

Gostaria que lesse minha mente,

Veria que minha voz não mente.

Que te amo ardentemente

*

Meus atos de corrupção

Fogem de uma lógica explicação

Não me entenda como vilão,

Estava debaixo de escravidão.


(Robinson Murilo Badin)

Rendido